Introdução ao Curso de Tarot

A origem do tarô é um mistério. Sabemos com certeza que as cartas foram usadas ​​na Itália no século XV, como um jogo de cartas popular.

Mais tarde, nos séculos XVIII e XIX, as cartas foram descobertas por um número de estudiosos influentes do ocultismo. Estes ficaram fascinados com o tarô e reconheceram que as imagens nos cartões eram mais poderosas do que um simples jogo poderia sugerir. Eles revelaram a história “verdadeira” do tarot, ligando as cartas para mistérios egípcios, filosofia hermética, a Cabala, alquimia e outros sistemas místicos. Essas atividades continuaram no início do século XX, quando o tarô foi incorporado às práticas de várias sociedades secretas, incluindo a Ordem da Golden Dawn.

Embora a  origem do tarot está na tradição oculta,  ele tem se expandido nas últimas décadas para incluir muitas perspectivas diferentes.

O tarô é mais comumente visto como uma ferramenta para adivinhação. A leitura de tarô tradicional envolve um buscador, ou seja, alguém que está à procura de respostas para perguntas pessoais e um leitor, alguém que sabe como interpretar as cartas. Após a pessoa ter embaralhado as cartas e cortá-las do monte, o leitor apresenta as cartas escolhidas em um padrão chamado de abertura. Cada posição na abertura tem um significado, e cada carta  tem um significado individual. O leitor combina esses dois significados para lançar luz sobre a questão do interessado.

Um processo simples, mas raramente apresentado de uma forma simples. Nos filmes, sempre vemos o tarô sendo usado em uma sala de estar. Uma mulher idosa, sentada nas sombras, lê os cartões para um nervoso, jovem. A velha levanta o dedo enrugado e ele cai ameaçadoramente sobre a carta da Morte. A pessoa então se curva para trás, assustada com este sinal achando que significa a sua morte iminente.

Algumas religiões evitaram as cartas de tarot, e os cientistas condenam seus símbolos com um absurdo, um resquício de um passado não esclarecidos penso eu. Deixemos de lado algumas imagens sombrias para agora e considerar o tarot simplesmente pelo que ele é – um baralho de cartas com figuras que possuem certos significados. A questão é – o que podemos fazer com elas?

Leituras de Tarot e seus significados

A resposta está no inconsciente – que reside no fundo da memória e consciência dentro de cada um de nós, mas fora de nossa experiência cotidiana. Em suas publicações, Sigmund Freud salientou o aspecto irracional e primitivo do inconsciente humano. Ele disse que se tratava de uma casa onde nossos desejos e impulsos mais inaceitáveis se escondiam. Seu contemporâneo Carl Jung enfatizou o aspecto positivo e criativo do inconsciente. Ele tentou mostrar que tem um componente coletivo que toca qualidades universais dentro do nosso íntimo.

Nós nunca saberemos por completo o poder do inconsciente humano, mas existem maneiras de explorar suas condições. Muitas técnicas foram desenvolvidas para esta finalidade – psicoterapia, interpretação de sonhos, visualização criativa e meditação. O tarô é outra ferramenta desse tipo.

Vamos considerar por um momento a carta típica de Tarot Cinco de Espadas. Esta carta mostra um homem segurando três espadas e olhando para duas figuras mais distantes. Duas outras espadas estão deitadas no chão. Ao olhar para esta carta, eu começo a criar uma história em torno da imagem. Eu vejo um homem que parece estar satisfeito com alguma batalha que ele ganhou. Ele parece um pouco presunçoso e satisfeito que ele tem todas as espadas. Os outros olham para ele com um aspecto abatido e derrotado.

O que tenho feito é trabalhar uma imagem aberta e projetar uma história para ela. Para mim, na minha opinião é o óbvio – a única interpretação possível da cena. De fato, alguém poderia imaginar uma história totalmente diferente. Talvez o homem está tentando pegar as espadas. Ele está chamando os outros para ajudá-lo, mas eles se recusam. ou, talvez os outros dois foram derrotados, e ele os convenceu de entregarem suas as armas.

O ponto é que de todas as histórias possíveis, eu escolhi uma determinado. Por Quê? Porque é da natureza humana projetar material inconsciente em objetos no ambiente. Nós sempre vemos a realidade através de uma lente composta de nosso próprio estado interior. Terapeutas há muito tempo notaram essa tendência e criaram ferramentas para auxiliar no processo. O teste da mancha de tinta de Rorschach é famoso é baseado em tal projeção.

A projeção é uma razão pela qual as cartas de tarô são valiosas. Suas fotos e padrões intrigantes são eficazes no aproveitamento do inconsciente. Este é o aspecto pessoal do tarot, mas as cartas também têm uma componente coletiva. Como seres humanos, todos nós temos certas necessidades e experiências comuns. As imagens nas cartas de tarô capturam estes momentos universais e atraem eles para fora de forma consistente. As pessoas tendem a reagir com as cartas de maneiras semelhantes, porque eles representam arquétipos. Ao longo de muitos séculos, o tarot evoluiu para uma coleção dos padrões mais básicos do pensamento humano e emoção.

O poder do tarot vem dessa combinação de o pessoal e o universal. Você pode ver cada carta de sua própria maneira, mas, ao mesmo tempo, você é apoiado por entendimentos que outros têm encontrado significativos. O tarô é um espelho que reflete de volta para você os aspectos ocultos de sua própria consciência única.

Quando fazemos uma leitura de tarô, nós selecionamos algumas cartas, cortamos e fazemos a abertura. Embora este processo pareça aleatório, nós ainda assumimos que as cartas são especiais. Este é o ponto de uma leitura de tarô. Agora, o bom senso nos diz que as cartas escolhidas por acaso possuem um significado especial, certo?

SHARE
Next articleArcanos Maiores do Tarot – Lição 2
Vivo a vida intensamente e não consigo mais aproveitá-la sem as leituras de Tarot que aprendi no começo de 2008 com um amigo que me ajudou a começar. Após alguns anos de testes e estudos resolvi criar este portal para compartilhar o conhecimento e vender o meu curso básico de Tarot.